Thursday, January 27, 2011

Crônica de Luiz Fernando Veríssimo sobre o "BBB"

Hoje, recebi este texto por e-mail de uma grande amiga e companheira de trabalho ( Flávia Silvestre), e ao terminar de ler não tive dúvidas ao decidir postar a vocês.
Como cristão e como alguém que ama a cultura, não há como não ouvir as palavras ecoarem. Sábias palavras.


"A TV deve fazer uma auto-censura sobre o que leva aos lares. O Ibope não 


pode estar acima da moralidade." (Alyrio Cavallieri)
"Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço...

A décima primeira (está indo longe!) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira.  Chega a ser difícil, encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência. Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. 

O BBB 11 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. 

Gays, lésbicas, heteros... todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial.  Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. 

O BBB 11 é a realidade em busca do IBOPE..
Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 11.  Ele prometeu um “zoológico humano divertido” .  Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas. Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).
Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. 
Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. 
Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.
Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. 

Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis?
Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor, quase sempre mal remunerados. 

Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo santo dia.
Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.
Heróis, são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína, Zilda Arns).
Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.
O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.   
E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.
Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?
(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores!)
Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores. 
Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir. 
Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade."



Monday, January 24, 2011

NASCE UM PRODUTOR

Gostaria de compartilhar com você um momento que me lembrei há alguns dias atrás. Eu estava saindo do estúdio, após muitas horas de trabalho em criação e gravação das guias dos CDs que estou produzindo. Foi quando veio em minha mente a lembrança da primeira vez que produzi.
Que sensação foi me lembrar daquilo! Bom, minha mãe tinha comprado um som. Marca Sharp, última geração , que vinha com rádio, tocador de discos (vinil) entrada auxiliar para Disc Player (CD), e pra encerrar, tinha dois Decks para fitas k7. 

Além disto tudo, ele tinha entrada Mic no padrão P10, que  logo percebi que poderia ser plugado não somente microfone mas também meu violão. Na época era um Digiogio nº16 estudante, e possuía um cristal que servia de amplificação, que era do meu pai. 

Eu já tinha algumas músicas e comecei a gravar. Apertei REC+PLAY e gravei o violão. Depois coloquei a fita que tinha gravado o violão,  no Deck reprodutor e coloquei a fita 2 no Deck de gravação,  gravando o que eu já tinha gravado,  e cantei por cima. Grande foi a minha surpresa ao ouvir a fita 2 e perceber minha voz e violão estavam gravados  juntos! Daí eu continuei a fazer isto, inserindo dobras, terças, percussões...
Depois mostrei pra minha mãe que ficou impressionada. Como eu tinha gravado tudo aquilo.
Recordo-me da sensação de ouvir tudo aquilo. O prazer de saber que fui eu quem criou e fez aquilo existir. Foi demais! Daí, vieram bandas, e mais experiências, sempre criando arranjos, linhas de solos, etc. E foi assim que percebi que foi lá. Há mais de 17 anos atrás que eu já era produtor. Ninguém me ensinou, não tinha visto na internet (não havia), nem em DVDs de aula (não existia esta mídia). Simplesmente brotou. Nasceu ali um produtor.
Hoje pela graça de Deus tenho produzido CDs profissionalmente. E sabe de uma coisa. A sensação é a mesma daquela quando eu tinha 15 anos!
Foi assim. E ao me lembrar disto tudo saindo do estúdio esbocei um sorriso no canto da boca me sentindo plenamente realizado! 

Tuesday, January 18, 2011

Avatar o Reino

Não há como fica alheio a esta super, hiper, mega max, produção de James Camerom. Eu o vi em 3D. Great! Lendo algumas coisas encontrei um interessante texto sobre este filme o qual compartilho com vcs. Enjoy!


AVATAR O REINO

(Aviso: essa postagem pode conter spoilers para quem não assistiu o filme)
Fui ver Avatar no último sábado. Foi um dos melhores filmes que assisti em 2009. Vale a pena ser visto em 3D.
Apesar de ser um blockbuster com todos os clichês hollywoodianos (o que esperar do diretor de Exteminador do FuturoAliens e Titanic, dentre outros?) Avatar tem imagens belíssimas do fictício planeta Pandora e traz uma crítica contundente sobre o colonialismo e imperialismo cruéis que têm sido praticados por império após império na história da humanidade. Naturalmente, o que logo nos vem a mente ao ver o filme, é o imperialismo norte-americano recente da era Bush, que levou a nação americana à guerra não tanto para defender-se do terrorismo como Bush alegava, mas para defender seus interesses de exploração de certos recursos naturais em outra nação, como ficou evidente.
Uma cena do filme, após a destruição de uma árvore que parecia ser indestrutível e era simbólica para a população dos Na’vi, lembra o cenário de Nova Iorque coberta de pó e cinzas em 11 de setembro, quando as torres gêmeas que também pareciam indestrutíveis e eram símbolo do capitalismo ocidental ruiram. Seria uma forma de nos lembrar que o mal que não desejamos para nós, não devemos derramar sobre os outros?
Em sua mensagem principal, Avatar é A Missão* do século 21. O filme nos faz pensar seriamente sobre nossa relação com a natureza e com os outros seres humanos.
Ao ver Avatar e seu paradisíaco mundo de Pandora, onde havia uma conexão entre todos os seres vivos, gerando um respeito pelos animais, plantas e pela natureza viva, um profundo senso do sagrado e reverência pelo divino, fiquei imaginando como teria sido o Éden. De fato, Avatar me fez ansiar pelo novo céu e nova terra, quando tudo será restaurado, quando serão feitas novas todas as coisas.
Avatar é uma palavra sanscrita que significa encarnação. No fime Avatar, o ator princípal encarna o corpo sintético-biológico de um nativo Na’vi por meio de uma tecnologia super-ultra-avançada (ficção ciêntifica pura), aprende sua língua, seus costumes, torna-se um deles, com o objetivo de transmitir-lhes uma mensagem (que, infelizmente, não eram boas notícias). Este aspecto do filme tem um apelo especial para mim porque encarnação é um de meus conceitos teológicos e missiológicos favoritos. Os Evangelhos são a narrativa do Deus que se fez carne e habitou entre nós, falando nossa língua e vivendo nossos costumes para nos transmitir a mensagem de boas notícias de salvação (e não de coerção e destruição) de maneira inequívoca.
Como Igreja, nossa missão neste mundo, enquanto aguardamos o novo céu e nova terra, é encarnar o Evangelho de tal maneira que nossas vidas sejam um reflexo neste mundo (ainda que pálido em comparação) de como será a vida no próximo.
Precisamos avatar o Reino no poder do Espírito Santo.
“Venha o Teu Reino, seja feita a Tua Vontade, na terra como nos céus. Amém.”

_____
filme com Jeremy Irons e Robert DeNiro lançado em 1986.


Friday, January 14, 2011

Wednesday, January 05, 2011

Wallpaper IBR 2011

Olá pessoal. Estudando um pouco aqui e ali acabei fazendo algumas artes... A primeira é o Wallpaper para Igreja Batista da Renascença (minha igreja amada). A segunda é a capa do CD do Luciano Matos.
Enjoy. Para Baixar o Wallpaper acesse: http://www.mediafire.com/?4j0yd98j1q1est1