Monday, January 24, 2011

NASCE UM PRODUTOR

Gostaria de compartilhar com você um momento que me lembrei há alguns dias atrás. Eu estava saindo do estúdio, após muitas horas de trabalho em criação e gravação das guias dos CDs que estou produzindo. Foi quando veio em minha mente a lembrança da primeira vez que produzi.
Que sensação foi me lembrar daquilo! Bom, minha mãe tinha comprado um som. Marca Sharp, última geração , que vinha com rádio, tocador de discos (vinil) entrada auxiliar para Disc Player (CD), e pra encerrar, tinha dois Decks para fitas k7. 

Além disto tudo, ele tinha entrada Mic no padrão P10, que  logo percebi que poderia ser plugado não somente microfone mas também meu violão. Na época era um Digiogio nº16 estudante, e possuía um cristal que servia de amplificação, que era do meu pai. 

Eu já tinha algumas músicas e comecei a gravar. Apertei REC+PLAY e gravei o violão. Depois coloquei a fita que tinha gravado o violão,  no Deck reprodutor e coloquei a fita 2 no Deck de gravação,  gravando o que eu já tinha gravado,  e cantei por cima. Grande foi a minha surpresa ao ouvir a fita 2 e perceber minha voz e violão estavam gravados  juntos! Daí eu continuei a fazer isto, inserindo dobras, terças, percussões...
Depois mostrei pra minha mãe que ficou impressionada. Como eu tinha gravado tudo aquilo.
Recordo-me da sensação de ouvir tudo aquilo. O prazer de saber que fui eu quem criou e fez aquilo existir. Foi demais! Daí, vieram bandas, e mais experiências, sempre criando arranjos, linhas de solos, etc. E foi assim que percebi que foi lá. Há mais de 17 anos atrás que eu já era produtor. Ninguém me ensinou, não tinha visto na internet (não havia), nem em DVDs de aula (não existia esta mídia). Simplesmente brotou. Nasceu ali um produtor.
Hoje pela graça de Deus tenho produzido CDs profissionalmente. E sabe de uma coisa. A sensação é a mesma daquela quando eu tinha 15 anos!
Foi assim. E ao me lembrar disto tudo saindo do estúdio esbocei um sorriso no canto da boca me sentindo plenamente realizado! 

2 comments:

Hudson de Jesus said...

Poxa, que legal! Eu tinha a mania de gravar fitinhas, não desse jeito, mas sempre gostei da brincadeira, e gravei muita coisa com meus amigos e meus primos, era tão divertido...até hoje tenho essas fitas gravadas, e sempre me divirto. Hoje ouvindo o seu som percebo, que apesar de ser um som muito bem feito, carrega essa simplicidade e espontaneidade, aquele frescor de criança descobrindo os sons. Deus te abençoe.

INTOLERANTE said...

Muito boa a matéria Revista Intolerante. aprova! Grandes lembranças de quando aprendi a tocar... te amo, pai!!